Go to Top

Informações Técnicas

Vestimentas de Proteção FR

O Estudo de Arco Elétrico é realizado criteriosamente de modo que possamos analisar as energias incidentes causadas por ocorrências de Arco Elétrico. O mesmo apresenta uma série de conceitos básicos que serão descritos a seguir:

Arco Elétrico (Arch Flash)

É a energia liberada entre dois condutores ou entre um condutor e a terra. Essa energia é gerada através de uma corrente elétrica que percorre o mesmo.

Energia Incidente Normalizada (Normalized Incident Energy)

No instante que ocorre um curto-circuito, o espaço é tomado por uma energia gerada pelo arco de duração média de 200 mseg de um corpo humano situado a 600 mm do arco em questão.

A energia incidente é função da tensão, da corrente de curto-circuito, e do tempo de atuação dos dispositivos de proteção do sistema. A energia incidente é inversamente proporcional à distância de trabalho.

Energia Incidente (Incident Energy)

Energia calculada a partir de valores da Energia Incidente Normalizada, cuja mesma incide sobre a pele ou vestimenta do trabalhador.

ATPV (Arch Thermal Performance Value) | HAF (Heat Attenuation Factor – Fator de atenuação)

Desempenho térmico do material, ou seja, a transmissão do calor causado pela energia incidente sobre um determinado metal, podendo causar queimaduras de até segundo grau em uma pessoa que esteja próxima da situação em questão.

Distância Segura de Proteção (Flash Protection Boundary ou AFB – Arch Flash Boundary)

Distância mínima na qual o trabalhador deve se encontrar da fonte de um arco que, por exemplo, possa ter uma energia de 1,2 cal/cm2, o que pode causar queimaduras de segundo grau em seu corpo caso ele não esteja devidamente protegido.

Zona de Risco

Local no qual é possível o acesso com o sistema energizado.

Zona Controlada

Área delimitada onde é possível o acesso, porém apenas de pessoal autorizado.

Motivos de ocorrência de um arco elétrico

  1. Mau Contato (Ex: Conexões soltas ou mal apertadas)
  2. Depreciação da Isolação (Sobretensão, Sobrecarga, etc.)
  3. Componentes e/ou equipamentos defeituosos (quando não detectado de imediato o mesmo pode ocorrer durante a vida útil)
  4. Projeto e instalação mal dimensionados.
  5. Contatos acidentais causados por ferramentas ou peça entre outros não citados.

O cálculo de energia incidente é realizado, através da corrente de curto sólida, onde no caso nós convertemos a mesma para a corrente de arco equivalente.

O método de cálculo das correntes de curto proposto na Norma IEEE 1584 é apresentado no Std. 141 – 1993 da IEEE. O software PTW utiliza os resultados obtidos pelo método Comprehensive do Módulo Dapper do próprio software. Este método é plenamente aplicável para a determinação das correntes de curto sólidas.

Para a determinação das correntes de arco, utilizamos o procedimento descrito na Norma IEEE – 1584 e Anexo D.8.2 da NFPA-70E

Definição do fogo repentino - NFPA 2112

“Uma frente de chama que se move rapidamente, que pode ser uma explosão de combustão. O fogo repentino pode ocorrer em um ambiente onde combustível e ar estejam misturados em uma concentração adequada para gerar uma combustão. O fogo repentino tem um fluxo de calor de aproximadamente 84 kW/m2 por períodos de tempo relativamente curtos, normalmente, menos de três segundos.”

Proteção contra exposição ao fogo repentino

Nas indústrias do petróleo, gás, química e petroquímica, o risco de exposição ao fogo repentino exige o uso de vestimenta resistente a chamas. A vestimenta resistente a chamas minimiza lesões por queimadura e oferece aos trabalhadores alguns segundos para fuga. Vestimentas não resistentes a chamas podem se inflamar instantaneamente em contato com fogo repentino, oferecendo uma fonte adicional de combustível, aumentando substancialmente a gravidade e a extensão das lesões por queimadura.

Downloads: